[RESENHA] O Dia Em Que Te Amei de Paula Toyneti Benalia


Livro: O Dia Em Que Te Amei 
Deusas de Londres #1
Autor (a): Paula Toyneti Benalia
Número de Páginas: 234
Editora: The Gift Box 
Compre aqui.

Sinopse: Algumas coisas estão escritas para acontecer e por mais que se esquive, os olhares se cruzam, os sorrisos se tocam e mesmo que o coração não saiba naquele instante, o dia para se amar está marcado para acontecer.” Quando o Duque de Misternham entrou em um salão de baile no seu regresso em Londres, depois de anos ausente viajando em busca de sua irmã desaparecida, estava disposto a encontrar uma noiva, mas sua única exigência era que essa fosse a dama mais imprópria da sociedade. Não procurava amor, buscava vingança e a encontrou na forma de uma gargalhada.
Tudo nela era impróprio. Tudo nela ultrajava a mais alta classe social. Da sua gargalhada até os seus dedos dos pés. Já na sua terceira temporada, Helena não compreendia porque o homem mais desejado de Londres pediria alguém como ela em casamento e iria descobrir isso da pior forma possível.
George esperava vingança, Helena colecionava vergonhas e juntos seriam o maior escândalo de Londres. O que nenhum dos dois esperavam era o que o destino desse casamento oportuno e destruidor poderia reservar para os dois.

RESENHA por Lili Aragão.

O Dia Em Que Te Amei é um romance de época escrito pela autora nacional Paula Toyneti Benalia. Faz parte da série Deusas de Londres e foi lançado pela editora The Gift Box.

Helena sempre costuma passar todos os bailes sentada e com a caderneta de danças vazia. Ela está em sua terceira temporada, se acostumando com o status de solteirona e com os as repreensões da família por conta de suas atitudes nada convencionais.

Ao participar de mais um baile junto com mãe, Helena percebe que o evento está fervendo com comentários sobre o comparecimento de um convidado especial, de grande influência e dono de um dos ducados mais antigos da Inglaterra. O duque de Misternham é também um libertino conhecido e chega a ser comparado a um deus por seus pares. Sendo a dona de uma gargalhada escandalosa, Helena começa a imaginar como seria engraçado se o “duque deus” acabasse não comparecendo ao baile, deixando muitas mães casamenteiras decepcionadas. Esse pensamento é o estopim para uma inevitável crise de riso que atrai a atenção de todos, inclusive a do tal convidado especial, que de forma inesperada surge e a convida para dançar.

George, o duque de Misternham, foi ao baile com o propósito de encontrar uma noiva com características impróprias para tornar-se sua duquesa. É claro que ao ver aquela jovem de riso escandaloso, chocando a todos no baile, ele logo percebe que ela será perfeita para os seus planos.

Perguntei-me como alguém poderia nadar contra a correnteza sem se afogar? Parecia ser exatamente isto que eu tentava fazer com Helena. Que Deus me ajudasse mais uma vez, já que, sim, eu amava o meu doce escândalo e não pretendia abandonar minhas vinganças!

A história se passa em 1801 e a sociedade retratada pela autora é bem machista.  Apesar de esse ser o esperado, desde que as mulheres tinham mesmo poucos direitos, eu me vi incomodada com alguns termos como: dono, proprietário, e ser submissa, no que se referia à mulher da época. Mas Helena é aquela personagem rebelde que sofre por conta disso, só que não abaixa a cabeça e vai se adaptando a todas as porradas que recebe sem esmorecer.

O Dia Em Que Te Amei trata de vingança. Confesso que nem sempre esse tema me agrada e neste livro ele é bem recorrente. George quer se vingar dos pais. Helena quer se vingar da família e de George por acabar com sonhos que ela pudesse ter antes do casamento. George usa os escândalos de Helena em seus planos, mas quando ele acha que ela passa dos limites, quer se vingar dela também. A certa altura da história, até mesmo Pietro, um amigo de George, quis uma pequena vingança por palavras impensadas ditas no calor do momento.

Este último tem pouca importância para a trama, mas o que quero dizer é que todo esse clima de vingança interferiu na minha conexão com o romance. E assim, é com o coração partido, pois tinhas boas expectativas para esse livro, que digo que ele não me encantou completamente.

Ainda assim, este foi meu primeiro contato com a autora, mesmo não tendo amado, achei a escrita dela descomplicada. A leitura evoluiu rapidamente numa história com uma média de 230 páginas e quero sim, futuramente, ler outros livros dela.

Em resumo, acho que a experiência de cada leitor é única. Li alguns comentários bem positivos dessa história, e assim, acho que o que me incomodou pode passar despercebido por outros leitores. Creio que vale a pena ler e tirar as próprias conclusões.

Espero que tenham uma boa leitura e que me digam o que acharam depois. Bjks! ❤

Deusas de Londres:
01. O Dia Em Que Te Amei;
02. Livro 02;
03. Livro 03.

Nenhum comentário