[RESENHA] O Príncipe da Meia-Noite de Laura Kinsale


Livro: O Príncipe da Meia-Noite
(The Prince of Midnight)
Autor (a): Laura Kinsale
Número de Páginas: 496
Editora: ASA

Sinopse: No seu coração só há lugar para um sentimento: vingança.
Lady Leigh Strachan tem sede de vingança. Após o violento massacre da sua família, está determinada a ver sofrer aqueles que lhe destruíram a vida. Mas, para isso, precisa de aprender a disparar uma pistola, a manejar uma espada, a montar um cavalo… e a única pessoa que a poderá ajudar é o lendário Seigneur du Minuit - o Príncipe da Meia-Noite.
Mas, ao encontrá-lo, Lady Leigh depara-se com um cenário inesperado: o outrora ágil e sedutor salteador encontra-se debilitado e a viver num castelo em ruínas com apenas um lobo por companhia. A jovem, porém, não desiste. Pois não acredita na derrota do herói cuja fama ainda corre de boca em boca… e não resiste ao seu olhar, no qual brilha ainda uma chama feroz.
Conseguirá Leigh despertar o tão amado Príncipe da Meia-Noite, fazer correr novamente nas suas veias o sangue de um bandido?
E será isso que ela realmente quer?

RESENHA por Luciana Corrêa da Silva.

Oi, como vão?

A resenha que trago hoje é de um livro lançado este mês em Portugal e escrito por Laura Kinsale, uma romancista americana muito premiada, mas que eu ainda não conhecia. O Príncipe da Meia-Noite é uma publicação da ASA.

Lady Leigh Strachan é uma mulher com sede de vingança. Apesar de ainda ser muito jovem, no seu coração já não há mais espaço para sonhos, tudo o que ela almeja é a vingança. Ela ainda sente na alma a dor de ter visto sua família ser morta nas mãos de um homem horrível, que ela quer destruir. Mas ela sabe que uma moça simples do interior não pode contra tanta maldade e, para que consiga completar o seu intento, precisa aprender algumas coisas fundamentais para ser uma assassina: ela precisa aprender a duelar com a espada, saber atirar e a montar bem um cavalo.

Ela sabe de um homem que é uma lenda, o único capaz de lhe ajudar, ele é o (lendário) foragido Seigneur du Minuit - o Príncipe da Meia-Noite.

Apesar de ser muito famoso, S.T não é nem a sombra do demoníaco salteador que um dia foi. Ao encontrá-lo, Lady Leigh depara-se com algo que jamais imaginou: aquele que um dia já foi um sedutor e rápido “Robin dos Bosques” é hoje um homem sozinho e debilitado que vive com seu lobo em um castelo abandonado. A moça sabe que não será fácil convencer o taciturno bandoleiro, mas não desiste com facilidade. Ela não consegue acreditar que o famoso herói seja hoje um homem derrotado. Ela sabe muito bem que pelos caminhos por onde andou, ouviu sua fama que ainda corre de boca em boca e, por isso, foi fácil encontrá-lo. Leigh vê que seu olhar não consegue esconder a chama feroz que ainda não se apagou.

A tarefa maior de Leigh passa a ser despertar o tão idolatrado Príncipe da Meia-Noite, e não mais sua vingança, ela sabe que não conseguirá uma coisa sem a outra. Mas será que ela acenderá novamente a chama que faz o sangue do bandido esquentar? O famoso Príncipe da Meia Noite é assim tão bandido?

Três malditos anos completamente sozinho. Desejava cair de joelhos e encostar o rosto no corpo dela e suplicar-lhe que fizesse amor com ele.

Será que passar por tantas decepções e tantos desafios não apagará em Leigh sua sede de vingança?

Tudo o que acontece em sua vida não servirá para ela rever seus ideais?

Imaginem um romance de época onde tudo pode acontecer, mas tudo mesmo. Leigh é uma mocinha totalmente fora dos padrões, veste-se de homem, identifica-se como alguém com sangue nos olhos, mas depois que consegue chegar ao tão temido bandido, parece que tudo desmorona ao seu redor, menos a sede de vingança.

O livro é muito doido e cheio de acontecimentos meio que sem pé nem cabeça. Por momentos pensei em desistir, mas depois ficou tudo tão maluco, que eu resolvi ir até o fim, nem que fosse pra dar risada. Mas o livro foi melhorando e eu entendi a narrativa e as comparações e isso deixou o livro bem interessante no final, apesar de continuar com cenas doidas e personagens muito alheios ao que encontramos nos livros de romance, em especial os de época.

Leigh e S.T. nos apresentarão uma relação muito diferente, mas cheia de mistério e momentos de apreensão. As coisas entre eles ocorrem em meio à viagem que os levará a quem merece pagar pelas maldades que fez. Mas até que lá cheguem, muitas coisas acontecem: a relação com o lobo selvagem em meio às pessoas e às cidades populosas, a interação deles com cavalos difíceis e as aulas de doma… Enfim, o livro é uma montanha-russa de acontecimentos pouco convencionais, mas que não me fizeram sentir arrependimento em ler.

Indico para quem gosta de leituras diferentes do habitual. Com certeza, te deixará plenamente satisfeita e de queixo caído com as peripécias desses dois personagens inesquecíveis.

Beijinho e até a próxima. 😉

Outras capas:

   




2 comentários

  1. Oi Lu, eu amei essa capa, achei ela belíssima. Já tive uma experiência com a Laura e gostei muito. Li o livro Flores da Tempestade, acho que é um dos mais famosos dela, é enorme haha, a edição que tenho tem 608 páginas, mas a história é boa e acho que bem diferente dessa, se tiver a oportunidade te recomendo, tem algumas resenhas ótimas no skoob se tu quiser saber mais.

    Mas em se tratando desse livro especificamente, não sei o que pensar kkkk o fato da história ficar meio louca é triste, vi potencial no resumo e na sinopse, mas ela melhora né?! o que é ótimo. Acho que fiquei curiosa, talvez não seja uma leitura pra se fazer agora, mas futuramente posso considerá-la. ;)

    Ótima resenha. Bjks!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lili, eu tenho esse livro dela que tu leste, mas nunca li. Esse é bem maluco, mas muito diferente de tudo que já li, estranho e ao mesmo tempo gratificante. Não sei se me faço entender kkkkk Beijinho e obrigada pelo carinho de sempre <3

      Excluir