4 de dezembro de 2017

Edenbrooke - Julianne Donaldson

Livro: Edenbrooke 
Autor (a): Julianne Donaldson
Número de Páginas: 304
Editora: Universo dos Livros
Compre aqui.

Sinopse: Marianne Daventry fará qualquer coisa para escapar do tédio de Bath e das atenções amorosas de um pretendente indesejado. Então, quando chega um convite de sua irmã gêmea, Cecily, para se juntar a ela em uma enorme casa de campo, ela agarra a chance na hora. Pensando que vai poder relaxar e desfrutar de seu amado interior inglês enquanto sua irmã tenta fisgar o belo herdeiro de Edenbrooke, Marianne descobre que até mesmo os melhores planos dão errado. De um aterrorizante encontro com um salteador a um aparentemente inofensivo flerte, a jovem se encontra envolvida em uma aventura inesperada e cheia de romance e intrigas, suficientes para manter sua mente agitada. Ela será capaz de controlar seu coração traidor, ou um estranho misterioso irá arrebatá-lo? O destino estava pensando em algo diferente de um verão relaxante quando mandou Marianne para Edenbrooke.

RESENHA por Luciana Corrêa da Silva.

Olá, com vão?

Hoje trago a resenha de um livro que há tempos queria ler, Edenbrooke, da Editora Universo dos Livros. Escrito por Julianne Donaldson, este é seu primeiro livro e posso dizer que já começou muito bem.

Edenbrooke é um lugar paradisíaco aos olhos de Marianne, uma moça de dezessete anos, que vive em Bath com a avó. Ele teve de mudar para lá depois de seu pai lhe deixar, pois resolveu se exilar em França depois da morte de sua amada esposa, mãe de Marianne e de Cecily. Marianne sofre não só pela morte da mãe, mas pela falta de notícias do pai e, mais ainda, por tudo culminar na permanência dela num lugar que não lhe dá nada de bom.

Marianne precisa desesperadamente escapar do tédio que Bath lhe impõe, mas especialmente precisa fugir da atenção demasiada e indesejada que recebe de um pretendente muito mais velho e repugnante. A moça não sabe mais o que fazer quando, inesperadamente, lhe chega um convite de sua irmã gêmea, que está em Londres a aproveitar a temporada. O convite de Cecily é para que Marianne se junte a ela numa enorme e bela casa de campo chamada Edenbrooke e ela segue para lá sem pestanejar.

Ela pensa que vai poder desfrutar de momentos junto à natureza e fazer novas amizades enquanto Cecily tenta fisgar o belo herdeiro de Edenbrooke. Marianne descobre, ao chegar lá, que ela terá tudo menos viver momentos de paz, ela será surpreendida por acontecimentos e sentimentos que jamais pensou ter. No caminho ela sofre um encontro aterrorizante com um salteador que lhe leva o que ela tem de mais precioso. O desfecho é um encontro incrível com um homem misterioso que lhe proporcionará, além de um flerte (aparentemente inofensivo), uma aventura inesperada.

O enredo é incrivelmente bem arquitetado e demonstrado. O livro começa um tanto insosso e a mocinha colabora para que tudo seja um pouco sem graça, mas sofrido na medida certa. Envolvemo-nos muito com ela, mas, ao mesmo tempo, Marianne tem uma inocência que beira o inacreditável. Além de tudo, ela é exageradamente altruísta e desfaz qualquer chance de ser feliz, mal percebemos que isso possa acontecer.

Pronto. Eu tinha dito. Estava me sentindo ousada e destemida. Talvez fosse por isso que sentia o estranho ímpeto de sorrir.

O livro é um romance bem encorpado, cheio de romance e intrigas, mas a mente agitada de Marianne deixa tudo ainda mais real e satisfatório. Ela luta contra sua mente e seu coração. Faz suposições que determinam o rumo da história e, quando vemos, estamos como ela, com o queixo caído. Sinceramente, Marianne não esperava por nada do que aconteceria com ela este verão, o destino será seu maior traidor, seu maior aliado.

Edenbrooke nos dá enorme prazer, depois que engrena (lá pela metade). Tem uma dose certa de mistério, a mocinha é muito encantadora e sofrida, e o tal herdeiro de tudo é “terrivelmente horrível” até que se mostra o melhor de todos os homens diante de nossos olhos. Ele nos irrita (e irrita Marianne) no turbo, ele debocha, provoca, mas quando resolve mostrar quem realmente é, nos encontra e domina como poucos.

Acredito que para um romance de estreia, Julianne Donaldson veio para marcar território e nos presentear com o que há de melhor nos romances de época. Não vejo a hora de ler mais livros dela e espero que a editora logo nos brinde com mais.

Obrigada por ler, beijinho e até a próxima.

Outras capas:

   




2 comentários

  1. Oi Lu, também não vejo a hora de ter mais livros dessa autora pra ler, eu amei, achei leve e sensível, o tipo de leitura que se encaixou perfeitamente entre minhas outras leituras mais tensas, li rapidamente e com sentimentos bons durante toda a história <3 Marianne é mesmo bem inocente e algumas tive que ficar me relembrando que ela tinha 17 anos pra não sentir vontade de entrar na história e chacoalhá-la kkk, e Phillip, esse me encantou, só desejei ter a versão dele também pra suspirar mais, contudo ela dá conta do recado como narradora e achei a história encantadora. Ótima resenha Lu e amo essa capa :)

    ResponderExcluir
  2. Também amei esse livro e já quero ler outros.

    ResponderExcluir